terça-feira, 17 de agosto de 2010

FERVE FREVO

(Manuela Barradas e Rafael Marinho)

“Foi no Recife,
Em pleno carnaval
Ver o galo lhe parecia normal
Era tanto sol,
Tantas cores
E o frevo
Logo de cara
Sua branquela ficou com medo

Mulher granfina
Das perna fina
Jóia pra ela é brinquedo
Empambada de pavor
Na mão um licor
Abraçada no nego

Mas o safado gostava da moreninha
Que dava uns pinotes
Agarrada na sombrinha
A tal da Maristela
Moradora da favela
A multidão com ela fervia

Fritando, o nego em Maristela acochou
Foi uma gritaria
Tremendo trelelê
Com raiva, a branca o pé arredou
Tanta história que rendeu saliva
A quarta-feira foi cinza
E do trio nunca mais se falou

Carnavais se passaram
Quinze galos depois
As orquestras desfilavam
Quando ouviu-se uma voz
Lá se vinha o povaréu
Tão alto era o escarcéu
Que agitou todos nós

Maristela, muito bela
Sacudindo no ar
A branquela amuada
Foi obrigada a cantar
E os instrumentistas
Empolgados na pista
Pareciam familiar

De longe se via o nego
Regendo sua linha
Nas mão um graveto
Continuava galinha
Sorrindo fogoso
Se achava famoso
Orgulhoso de sua cria”

3 comentários:

Isadora Cavalcanti disse...

Ficou super divertido :)

Lindooo!!

Beijinhos

Anônimo disse...

Maguinha, vc é meu orgulhooooooooooooooo... amei o seu textinho... I love you Leurinha do meu core... beijaooooo Tata

Olga disse...

Manuuuu tu é um poço de criatividade..Tah lindooo!
Beijão
=)

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. É sempre uma honra lê-lo!!

250x125 Ads1